TROVADOR DAS ALTEROSAS

PROSA E VERSO

Textos


CASAMENTO CAIPIRA

CORDEL

SEPTILHA

MOTE - MONÓSTICO.
E quero é aqui nesta cama.


Escapamos lá da festa
Saímos pelo corredor,
Lá fora faziam seresta
No quarto rolava amor.
Ela repete que me ama
Quero sentir seu calor
E quero é aqui nesta cama.

No colo a moça eu levei
Ela se fingindo dondoca,
Ela quer o que imaginei
Doida pra ver a minhoca,
E já sabendo da fama,
Acha que é pescar coroca
E quero é aqui nesta cama.

Deitei a menina no leito
Tirei a camisa e gravata,
Deixei pelado meu peito
Deitei em cima da gata,
Puxei despelando a dama
Seu vestido com bom jeito
E quero é aqui nesta cama.

Ela gritou na mesma hora
Pensei que era meu amigo,
Tirou minha roupa fora
Quer fazer sexo comigo,
Quer é me jogar na lama?
Você casou tem castigo,
E quero é aqui nesta cama.

Seu peste cheio de manguaça
Não sabe que eu sou virgem?
Me fez eu beber cachaça
Estou agora com vertigem.
Está bem, pare com drama,
Respeito o "não" deu fulígem..
Eu quero é aqui nesta cama.

Na cama fui desejada?
Então vou falar com a madre,
Porque só ouvindo o padre,
Dizer que estou casada
Ainda jurar que me ama.
Assim eu já pulo pelada
E quero é aqui nesta cama.

Com papo não me convenço,
Quer comer a sua menina,
Papo de cerca Lourenço
Casar em festa junina,
Depois dengoso me chama,
Queria comer a cagibrina
E queria aqui nesta cama.

Ta bem; sei que sou roceiro,
Eu pensei que o casamento,
Valia como verdadeiro
E parti pro complemento.
Como sei que você me ama
A gente come após o evento
Aqui mesmo nesta cama.

E foram felizes para sempre.













 
Trovador das Alterosas
Enviado por Trovador das Alterosas em 30/07/2017
Alterado em 05/08/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras